A importância da palavra em Chico Buarque e no discurso teológico

Antonio Manzatto

Resumo


Chico Buarque de Hollanda, um dos maiores artistas brasileiros e com reconhecimento internacional é, em sua arte, verdadeiro artesão das palavras no sentido de construir significados na busca da palavra certa, mesmo se diferente, e também de chamar a atenção para a realidade da dignidade da palavra, que é, no seu dizer, mais que instrumento de comunicação pois é forma de habitar o pensamento. Através de procedimento comparativo, percebe-se que o fazer teológico possui a mesma convicção porque também constrói significados para as palavras que compõem seu universo. Dessa maneira, além da exatidão e do cuidado gramatical, também a teologia tem em alta consideração a atualização de significados e o reconhecimento da dignidade da palavra. Mais não fosse, pelo fato de afirmar na fé que a encarnação da Palavra de Deus em Jesus é forma não apenas de comunicação, mas uma maneira de Deus habitar o mundo dos seres humanos e, por esse viés, possibilitar que também o humano perceba maneiras de habitar o mundo de Deus.


Palavras-chave


palavra, Chico Buarque, significados, teologia, Palavra de Deus

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os guaranis: índios do Sul – religião, resistência e adaptação; Estudos Avançados, v. 4, no. 10, 1990,

p. 53-90.

CAVALCANTE, Ronaldo (org.). Cultura, religião e sociedade em Chico

Buarque de Hollanda, São Paulo: Recriar, 2019.

CAVALCANTE, Ronaldo. O som secular da religião: elementos religiosos na linguagem aberta e estética da prosa-poética musical buarqueana; Teoliterária, v. 8, no. 16, 2018, p. 322-347.

FRANGIOTTI, Roque. História das heresias, São Paulo: Paulus, 1995.

HOMEM, Wagner. História de canções: Chico Buarque. São Paulo:

Leya, 2009

MANZATTO, Antonio. Certas Canções, teologia e música popular brasileira, São Paulo: Fonte Editorial, 2019

MANZATTO, Antonio. Jesus Cristo: Teologia do Papa Francisco; São

Paulo: Paulinas, 2019.

RICOEUR, Paul. A hermenêutica bíblica, São Paulo: Loyola, 2006.

RICOEUR, Paul. A metáfora viva, São Paulo: Loyola, 2000.

RICOEUR, Paul. Le symbole donne à penser, Esprit, n. 7-8, 1959.

SANTAELLA, Lucia. Epistemologia semiótica, Cognitio, v. 9, no.1, 2008, p. 93-110.

SEGUNDO, Juan Luís. O dogma que liberta, São Paulo: Paulinas, 1991.

SESBOUÉ, Bernard; WOLINSKI, Joseph (dir.). O Deus da Salvação;

História dos dogmas tomo I; São Paulo: Loyola, 2002.

VILLAS BOAS, Alex. O método antropológico no diálogo entre teologia

e literatura em Antonio Manzatto, Revista de Cultura Teológica,

, 2020, p. 24-48.

WERNE CK, Humberto. Chico Buarque de letra e música, São Paulo: Cia das Letras, 2004.




DOI: https://doi.org/10.23925/2236-9937.2020v22p104-121

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.