Livro de Rute: a narrativa refletindo as questões da mulher e as medidas socioprotetivas

Cláudia Andréa Prata Ferreira

Resumo


O predomínio do protagonismo feminino, o ponto de vista da história e a aliança de Noemi e Rute personifica uma parceria sororal e solidária, assegurando o pão, a sobrevivência – mulheres planejando e executando juntas o próprio futuro. Destacam-se os elementos culturais, religiosos e históricos que apontam para as medidas socioprotetivas.


Palavras-chave


Livro de Rute; protagonismo feminino; medidas socioprotetivas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALANATI, Leonardo. Releituras rabínicas do Livro de Rute. In: Estudos Bíblicos. Petrópolis, RJ: Vozes. Número 98, 2008/2. p.72-76.

ALONSO SCHÖKEL, Luis. Dicionário bíblico hebraico-português. São Paulo: Paulus, 1997.

BERLIN, Adele. Legal Fiction: Levirate cum Land Redemption in Ruth. In: Journal of Ancient Judaism. Göttingen, Alemanha: Vandenhoeck & Ruprecht, 2010. Volume 1, Edição 1, p. 3-18. Link: . Acesso 20 jul. 2018.

BÍBLIA de Jerusalém. São Paulo: Paulus, 2016.

BÍBLIA do Peregrino. 2ª. ed. São Paulo: Paulus, 2006.

BRENNER, Athalya. Rute: a partir de uma leitura de gênero. São Paulo: Paulinas, 2002.

CASTRO, Manuel Antônio de Castro. A leitura e os diferentes textos. Rio de Janeiro, 2006. Blog – Web. Link: . Acesso 20 agosto 2017.

DICHI, Isaac. Vaani Tefilá: Leis referentes às orações. Resumo prático baseados nos livros de Halachá. São Paulo: Congregação Mekor Haim, 1992.

DONIN, Hayim Halevy. O Ser Judeu: guia para a observância judaica na vida contemporânea. Trad. Rafael Fisch. Jerusalém: Ministério de Educação e Cultura (Israel)/Agência Judaica/Organização Sionista Mundial, 1985.

______. Rezar como judio: guia para el libro de oraciones y el culto em la sinagoga. Jerusalém: Eliner Editorial,1986.

DI SANTE, Carmine. Liturgia judaica: fontes, estrutura, orações e festas. São Paulo: Paulus, 2004.

FERNANDES, Leonardo Agostini. Rute. São Paulo: Paulinas, 2012.

FERREIRA, Cláudia Andréa Prata. O pacto da memória: interpretação e identidade nas fontes bíblica e talmúdica. Tese de Doutorado em Poética (Ciência da Literatura). Rio de Janeiro, Faculdade de Letras da UFRJ, 2002.

______. O Livro de Rute: uma leitura sobre o discurso e as relações de poder. In: Atualidade Teológica. Revista do Departamento de Teologia da PUC-Rio. Ano XVII, n.45 set./dez. 2013. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Departamento de Teologia, Letra Capital, 2013. p.496-509.

______. Shavuot 2016/5776. ___. Estudos Bíblicos. Rio de Janeiro: Weblog, 2016. Link: . Acesso 20 agosto 2017.

FERREIRA, Joel Antônio. Rute e Boás: o amor destrona o sectarismo. In: Fragmentos de cultura. V. 24. Goiânia, PUC-Goiás, 2014. p.329-336.

FRANCISCO, Edson de Faria. Características da língua hebraica: Hebraico Arcaico, Hebraico Pré e Pós-Exílico, Hebraico de Qumran e Hebraico Massorético. In: Estudos de Religião 21. Práxis Religiosas e Religião. Ano XV, Número 21, dezembro de 2001, São Bernardo do Campo, São Paulo: UMESP. p.165-195.

______. Manual da Bíblia Hebraica: Introdução ao Texto Massorético. Guia Introdutório para a Biblia Hebraica Stuttgartensia. 3. ed. São Paulo: Vida Nova, 2008.

______. A Língua Hebraica do Antigo Testamento. In: idem (trad.). Antigo Testamento Interlinear Hebraico-Português: vol. 1: Pentateuco. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil,

, p. XVII-XXI.

______. FRANCISCO, Edson de Faria. Língua Hebraica: Aspectos Históricos e Características. In: Bíblia Hebraica. São Paulo, 2014. Blog – Web. Link: . Acesso 15 mar. 2018.

FRIGERIO, Tea. Patriarcalismo e antagonismo entre as mulheres. Construir a solidariedade a partir do Livro de Rute. São Leopoldo/RS: CEBI, 2007.

HARRIS, R. Laird et al. Dicionário internacional de teologia do Antigo Testamento. São Paulo, Vida Nova, 1998.

HUBBARD Jr., Robert L. Comentários do Antigo Testamento: Rute. São Paulo: Cultura Cristã, 2008.

KIRSCHBAUM, Saul. Sobre o caráter diacrônico dos festivais religiosos. São Paulo: REVER, /2003/. Fórum. Revista de Estudos da Religião. Pós-graduação em Ciência da Religião da PUC-SP. Disponível em: . Acesso 20 mar. 2018.

KIRST, Nelson et alii. Dicionário hebraico-português e aramaico-português. 32ª ed. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2016.

KITZINGER, Ângela Maringoli. Messianismo - de Rute ao Brasil Contemporâneo: Sofrimento e Esperança – Rute 4,1-12. Dissertação de mestrado em Ciências da Religião. São Bernardo do Campo, São Paulo: UMESP/Faculdade de Filosofia e Ciências da Religião, 2011.

KOLATCH, Alfred J. Livro judaico dos porquês. São Paulo: Sefer, 1996. v.1.

LANOIR, Corinne. Rute. In: RÖMER, Thomas. MACCHI, Jean-Daniel e NIHAN, Christophe (orgs.). Antigo Testamento: história, escritura e teologia. São Paulo: Loyola, 2004.

LEVINSON, Bernard M. A história legal como um tropo literário em Rute. In: ___. Revisão legal e renovação religiosa no Antigo Israel. São Paulo: Paulus, 2011. p.52-61.

LIMANTANI, Giacoma. Midraxe: como os mestres liam e viviam a Bíblia. São Paulo: Paulinas. 1998.

LOPES, Mercedes. O livro de Rute. In: Ribla. Petrópolis: Vozes, 2005. Número 52. p.88-100.

LUSSEAU, H. Introduction à la Bible. Paris: Desclée, 1959. Tomo I, p.670.

MARIANNO, Lília Dias. Um estudo sobre as relações entre judaítas e estrangeiros no pós-exílio em perspectiva de gênero. Dissertação de Mestrado em Ciências da Religião. São Bernardo do Campo, São Paulo: Universidade Metodista de São Paulo, 2007.

MARINGOLI, Angela. Rute: sofrimento e esperança, a história do tempo presente. São Paulo: Fonte Inspirata, 2014.

MEGUILAT RUTH. The book of Ruth. A new translation with a commentary anthologized from Talmudic, Midrashic and Rabbinic Sources. Brooklyn, Nova Iorque: Mesorah Publications, 2010.

NAVARRO PUERTO, Mercedes. O livro de Rute. In: GONZÁLEZ LAMADRID, A. et alii. História, narrativa, apocalíptica. 2ª ed. São Paulo: Ave Maria, 2011. p.331-348.

PRADO, José Luiz Gonzaga do. O livro de Rute à luz do método histórico crítico. In: Estudos Bíblicos. Petrópolis, RJ: Vozes. Número 98, 2008/2. p.77-84.

RABIN, Chaim. Pequena história da língua hebraica. São Paulo: Summus, s.d.

SÁENZ-BADILLOS, Angel. A History of the Hebrew Language. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

SASSI, Katia Rejane. Pentateuco Feminino. Cinco livros proclamados nas festas judaicas. São Leopoldo, RS: CEBI, 2012.

______. Desenrolando as cinco Meguilot festivas. Ribla 67 (2010/3). Meguilot. Enfoque feminista. p.29-45.

SILVA, Aldina. Rute: um evangelho para a mulher de hoje. São Paulo: Paulinas, 2002.

SKA, Jean-Louis. O Antigo Testamento: explicado aos que conhecem pouco ou nada a respeito dele. São Paulo: Paulinas, 2015.

STEINMETZ, Avraham. O Guia. Fundamentos judaicos para iniciantes. 2.ed. São Paulo: Chabad, 2005.

TORÁ. A Lei de Moisés. Inclui a tradução das Cinco Meguilot por David Gorodovits e Ruben Najmanovich. São Paulo: Sefer, 2001.

VIEGAS, Alessandra Serra. Uma heroína chamada Rute: análise narrativa e intertextual de Rt 3. Tese de Doutorado em Teologia. Rio de Janeiro, RJ: PUC-Rio/Departamento de Teologia, 2017.

VÍLCHEZ LINDEZ, José. Rut y Ester. Navarra, Espanha: Verbo Divino, 1998.

WOLPO, Shalom Dov. Conceitos judaicos. São Paulo: Lubavitch – Brasil/Yeshivá Tomchei Temimim Lubavitch, 2012.

ZENGER, Erich. O Livro de Rute. In: ZENGER, Erich et alii. Introdução ao Antigo Testamento. São Paulo: Loyola, 2016. p.184-194.




DOI: https://doi.org/10.23925/2236-9937.2020v22p539-577

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.