A teologia ficcional de José Saramago no Ensaio sobre a Cegueira

MARCIO CAPPELLI

Resumo


O artigo procura mostrar como o escritor português José Saramago elabora em seu universo romanesco uma teologia ficcional. Essa característica pode ser verificada em boa parte de seu corpus literário, no entanto, este trabalho se deterá especificamente na obra Ensaio sobre a Cegueira. Mesmo que numa primeira leitura questões teológicas possam parecer não estar explicitamente presentes, através de uma abordagem adequada acredita-se que elas serão realçadas.  Para chegar a essa finalidade, de ver a literatura saramaguiana como espaço de reelaboração teológica, é preciso evidenciar o potencial que o gênero romanesco enquanto ficção possui frente à teologia conceitual. Além disso, é importante desvendar os procedimentos de José Saramago como escritor que no re-uso da linguagem e das imagens religiosas desloca-as para, crítico-criativamente, conferir-lhes sentidos que possibilitam novas compreensões. Desta maneira, a “boa-notícia” saramaguiana tecida nos interstícios do cenário do seu Ensaio, se revelará incontornavelmente como uma possibilidade de pensar, ainda que, por meio de uma ausência divina, uma abertura sempre maior ao outro.


Palavras-chave


José Saramago; Teologia ficcional; Ensaio sobre a Cegueira

Texto completo:

PDF

Referências


ABADÍA, J. P. T. A Bíblia como literatura. Petrópolis: Vozes, 2000.

AIME, O. Il curato di Don Chisciotte. Teologia e romanzo. Assisi: Cittadella, 2012.

ALTER, R. A Arte da Narrativa Bíblica. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

ALTER, R.; KERMODE, F.(Orgs.). Guia literário da Bíblia. São Paulo: Unesp, 1997.

ANTOÑANZAS, F. T. Dom Quixote y el absoluto: algunos aspectos teológicos de la obra de Cervantes. Salamanca: Publicaciones Universidad Pontificia de Salamanca/ Caja Duero, 1998.

BAKHTIN, M. A cultura popular na idade média e no renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec/Annablume, 2002.

BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec/Unesp 1990.

BEAUDE, P.-M. (ed.). La Bible en littérature. Paris: Cerf, 1997.

BERRINI, B. Ler Saramago: O Romance. Lisboa: Caminho, 1998.

BINGEMER, M. C. L. Teologia e Literatura: afinidades e segredos compartilhados. Rio de Janeiro/Petrópolis: Puc-Rio/Vozes, 2015.

BINGEMER, M. C. L. O mistério e o mundo: paixão por Deus em tempo de descrença. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

BLOOM, H. Abaixo as verdades sagradas. Poesia e crença desde a bíblia até os nossos dias. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

BLOOM, H. O cânone Ocidental: os livros e as escolas do tempo. Rio de Janeiro: Objetiva, 1995.

BLOOM, H. O livro de J. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

CAPPELLI, M. Por uma teologia ficcional: a (des)construção teológica na reescritura bíblica de José Saramago. Tese de Doutorado apresentada no departamento de teologia da Puc-Rio, 2017.

COLERIDGE, S. T. Biographia literaria ovvero schizzi biograficci della mia vita e opinioni ltterarie. Roma: Editori Reuniti, 1991. p.

COMBLIN, J. A teologia das religiões a partir da América Latina. In: TOMITA, L.; BARROS, M.; VIGIL, J. M. (orgs.). Pluralismo e libertação: por uma teologia latino-americana pluralista a partir da fé cristã. São Paulo: Loyola, 2005.

DUPLOYÉ, P. Réthorique et Parole de Dieu. Paris: Cerf, 1955.

FRYE, N. O código dos códigos. A Bíblia e a literatura. São Paulo: Boitempo, 2004.

FRYE, N. A imaginação educada. São Paulo: Vide Editorial, 2017.

GABEL, J. B.; WHEELER, C. B. A Bíblia como literatura. São Paulo: Loyola, 2003.

GEBARA, I. Cristologias plurais. In: VIGIL, J. M. Descer da cruz os pobres: cristologia da libertação. São Paulo: Paulinas, 2007.

GESCHÉ, A. O sentido. São Paulo: Paulinas, 2003.

GESCHÉ, A.; SCOLAS, P. Le corps chemin de Dieu. Paris: Cerf, 2005.

HADOT, P. “Patristique” In: Encyclopaedia Universalis. Disponível em < http://www.universalis.fr/encyclopedie/patristique/> Acesso em: 13.02.2017.

HILLESUM, E. Une vie bouleversée, suivi de Lettres de Westerbork. Paris: Seuil, 1995.

JOSSUA, J.-P. Pour une histoire religieuse de l'expérience littéraire, III. Paris: Beauchesne, 1998. FLAUBERT, G. Dicionário das ideias feitas. São Paulo: Nova Alexandria, 1995.

KUNDERA, M. A arte do romance. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

KUSCHEL, K.-J. Im spiegel der dichter. Mensch, Gott und Jesus in der Literatur des 20. Düsseldorf: Patmus Verlag, 1997.

KUSCHEL, K.-J. Os escritores e as escrituras. São Paulo: Loyola, 1999.

LOPES, M. A. Rosário Profano. Rosário Profano: hermenêutica e dialética em José Saramago. Tese de doutorado, Unicamp, 2005.

LOURENÇO, E. Sobre Saramago. In: Id. O Canto do Signo. Existência e Literatura. Lisboa: Editorial Presença, 1994. p. 180-188. Ver também a análise de Marcos Lopes sobre a recepção que Eduardo Lourenço faz de Saramago: MALANGA, E. B. A Bíblia Hebraica como obra aberta: uma proposta interdisciplinar para uma semiologia bíblica. São Paulo:Humanitas/Fapesp, 2005.

MANZATTO, A. Teologia e Literatura: Reflexão teológica a partir da antropologia contida nos romances de Jorge Amado. São Paulo: Loyola, 1995.

MARTINS, M. F. A espiritualidade clandestina de José Saramago. Lisboa: Fundação José Saramago, 2014.

MIELIETINSKI, E. M. A poética do mito. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.

MENDONÇA, J. T. Poética da Escrit(ur)a. In: THEOLOGICA. n. 44, 2, 2009. p. 295-303.

METZ, J.-B. Pequena apologia da narração. In: Concilium. n. 85, 1973. p. 580-592.

MILES, J. Deus: Uma Biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

MOLTMANN, J. Trindade e Reino de Deus. Uma contribuição para a teologia. Petrópolis: Vozes, 2011.

RABELAIS, F. The Complete Works of François Rabelais. Berkeley/Los Angeles: University of California Press, 1991. p. XXVII-XLVII.

RATZINGER, J. Introdução ao cristianismo. Preleções sobre o Símbolo Apostólico. São Paulo: Herder, 1970.

REUTER, Y. Introdução à análise do romance. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

ROBBE-GRILLET, A. Por um novo romance. São Paulo: Documentos, 1969. p. 107.

RUBIO, A. G. Novos rumos da antropologia teológica. In: AMADO J. P.; RUBIO, A. G. (orgs.). O humano Integrado. Abordagens de Antropologia Teológica. Petrópolis: Vozes, 2007.

SALMANN, E. La teologia è un romanzo. Um approccio dialettico a questioni cruciale. Milano: Paoline, 2000.

SARAMAGO, J. Cadernos de Lanzarote. Diários I e II. Lisboa: Círculo de leitores, 1998.

SARAMAGO, J. Ensaio sobre a cegueira. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SARAMAGO, J. O fator Deus. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u29519.shtm

l> Acesso em 10.07.2016.

SARAMAGO, J. O ano da morte de Ricardo Reis. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

SIMÕES FEREIRA, M. Rabelais e “A Abadia de Thélème”, génese da antiutopia na Idade Moderna. In: Cultura. v. 22, 2006. p. 3. Disponível em < http://cultura.revues.org/2288> Acesso em: 14. 02. 2017.

SPADARO, A. O batismo da imaginação. : a experiência da palavra criativa. Lisboa: Paulinas, 2016.

STEINER, G. A Bíblia Hebraica e a divisão entre judeus e cristãos. Lisboa: Relógio d’Água, 2006. MAGALHÃES, A. C. Deus no espelho das palavras. São Paulo: Paulinas, 2002.

STEINER, G. Errata. Récite d’une pensée. Paris: Gallimard, 1998.

STEINER, G. Linguagem e Silêncio: ensaios sobre a crise da palavra. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SCHWARTZ, A. O narrador se agiganta e engole a ficção. Revista Entre Livros. São Paulo, n. 08, 2005.

TENÓRIO, W. “Meu Deus e meu conflito”: Teologia e Literatura. IHU-Online. 17. mar. 2008. Disponível em acesso em 28. 03. 2015.

UNAMUNO, M. Vida de Don Quijote y Sancho. Madrid: Espasa-Calpe, 1987.

WATT, I. A ascensão do romance. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

WOOD, J. A herança perdida: ensaios sobre literatura e crença. Lisboa: Quetzal, 2012.

ZABATIERO, J; LEONEL, J. Bíblia, literatura e linguagem. São Paulo: Paulus, 2011.




DOI: https://doi.org/10.23925/2236-9937.2019v19p252-278

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.