Do amor entre a pastora e o seminarista ou uma análise teológica dos corpos além das fronteiras.

Wanderson S. F. de Andrade Campos, Claudio de Oliveira Ribeiro

Resumo


A presença do sagrado e suas diversas manifestações acontecem nos textos literários desde os remotos tempos e tais manifestações se dão por meio da dinâmica antropológica que a literatura proporciona e é por meio dela que a teologia e a literatura podem estabelecer um diálogo. A dinâmica antropológica, ou o corpo, aparece de forma de forma aberta e sem vergonha alguma na literatura de Jorge Amado, nos fazendo acreditar que a literatura desse escritor baiano tem muito para acrescentar à teologia. Um dos romances que pode nos apresentar uma (re)descoberta do sagrado por meio do corpo é a história de Tieta do Agreste. Dessa forma, o presente artigo tentará fazer uma analise teológica do(s) corpo(s) que essa história nos apresenta.

Palavras-chave


Tieta, Corpo, Antropologia, Fronteira, Deus.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, Jorge. Tieta do Agreste. Rio de Janeiro: Record, 1977. 592p.

ANZALDÚA, Gloria. La conciencia de la mestiza / Rumo a uma nova consciência. In: Estudos Feministas, Florianópolis, v.13(3), 320, setembro-dezembro. 2005.

BELLINE, A. H. C. Representações do Feminino (p.26-39). In: A Literatura de Jorge Amado: Orientações para o trabalho em sala de aula. (org.) Norma Seltzer Goldstein. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. 96p.

BOPP, Raul. Vida e morte da Antropofagia. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008. 151p.

CAMPOS, W. S. F. A. O transcendente e o terreno na vida: Uma análise teológica da obra Dona Flor e seus dois maridos, de Jorge Amado. São Bernardo do Campo, 2014. 64 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Teologia) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2014.

__________________. O transcendente e o terreno à flor da pele: considerações antropológicas do romance Dona Flor e seus dois maridos, de Jorge Amado. In: Saberes em Ação • Ano 02 • N° 04 • Jul/Dez 2014

CANDIDO, Antônio e Outros. A Personagem de Ficção. São Paulo: Perspectiva, 2002.

FERREIRA, Aurelio Buarque de Holanda. Aurélio século XXI. Coordenação de Margarida dos Anjos, Marina Baird Ferreira. 3.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. 2128 p.

FIGUEIREDO, Ediliane Lopes de. Inter-relações pessoais divinizadas em Alberto Caeiro e Jorge Amado. In: Teologias e Literaturas 4: Profetas e Poetas – Entre os céus e a terra. (Org.) FERRAZ, Salma; MAGALHÃES, Antônio Carlos de Melo; LEONEL, João e NOVARESI, Raphael. São Paulo: Fonte Editorial, 2013. 436p.

MACHADO, Ana Maria. Ilhas no tempo: algumas leituras. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004. 174p.

MANZATTO, Antonio. Teologia e literatura: reflexão teológica a partir da antropologia contida nos romances de Jorge Amado. São Paulo: Loyola, 1994. 387p.

___________________. Para ler a questão religiosa em Jorge Amado. In: Horizonte Teológico, Belo Horizonte, v. 12, nº 23, p. 77-92, jan/jun. 2013.

MOLTMANN, Jurgen. Ética da esperança. Tradução de Vilmar Schneider. Petrópolis: Vozes, 2012. 313 p.

RAILLARD, Alice. Conversando com Jorge Amado. Rio de Janeiro: Record, 1990. 317p.

REZENDE, Paulo Antônio. Octavio Paz: as trilhas do labirinto. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 20, nº 39, p. 223-248. 2000.

SANTOS, Boaventura de Souza. Modernidade, identidade e a cultura de fronteira. In: Tempo Social; Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 5(1-2): 31-52, 1993 (editado em nov. 1994).

VELOSO, Caetano. Antropofagia. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2012. 70p.




DOI: https://doi.org/10.19143/2236-9937.2016v5n10p249-271

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.