Programa Condicionamento Vocal e Respiratório (CVR): proposta de intervenção para profissionais da voz

Léslie Piccolotto Ferreira, Maria Cristina de Menezes Borrego, Aline Aparecida Silva, Tatiana Pereira dos Santos, Milena Zavarize da Silva, Patricia Piccin Bertelli Zuleta, Renata Escorcio

Resumo


Programas de intervenção para profissionais da voz podem englobar estratégias de treinamento muscular vocal e respiratório. Neste tipo de abordagem, a integração de ações fonoaudiológicas e fisioterapêuticas tem produzido resultados positivos. A presente comunicação tem como objetivo apresentar uma proposta de intervenção fonoaudiológica e fisioterapêutica denominada Condicionamento Vocal e Respiratório (CVR), desenvolvida com profissionais da voz. Composta por oito encontros semanais, ela teve como objetivo aumentar a resistência vocal e respiratória dos participantes, promovendo melhor desempenho profissional. Para a fonação, foram indicados exercícios de trato vocal semiocluído com a utilização de canudos comerciais e de silicone; para a respiração, foram realizados exercícios com um incentivador a fluxo (Respiron Classic®).


Palavras-chave


Voz; Fonoterapia; Treinamento da voz; Exercícios Respiratórios; Endurance; Testes de Função Respiratória

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Brasil Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Brasília (DF); 2018. 42 p: il. (Saúde do Trabalhador; 11. Protocolos de Complexidade Diferenciada).

Andrade SR, Cielo CA, Schwarz K, Ribeiro VV. Terapia vocal e sons nasais: efeitos sobre disfonias hiperfuncionais. Rev. CEFAC. 2016;18 (1): 263-272.

Lima JPM, Cielo CA, Christmann MK. Fonoterapia com fonação em tubos em paciente com paralisia de prega vocal medializada cirurgicamente: estudo de caso. Speech therapy with phonation into tubes in a patient with vocal fold paralysis surgically medialized: a case study. Rev. CEFAC. 2016. 18 (6): 1466-1474

Hixon T, Weismer G, Hoit J. Preclinical Speech Science: Anatomy and Physiology. San Diego: CA, Plural Publishing; 2008.

Vaiano T, Badaró F. Fisiologia do exercício na clínica vocal. In: Lopes L, Moreti F, Ribeiro LL, Pereira EC (organizadores). Fundamentos e Atualidades em Voz Clínica. Rio de Janeiro: Thieme Revinter; 2019.

Mendes ALF, Dornelas do Carmo R, Dias de Araújo AMG, Paranhos LR, da Mota CSO, Schneiberg S, Reis FP, Aragão JA. The Effects of Phonation into Glass, Plastic, and LaxVox Tubes in Singers: A Systematic Review. J Voice. 2018; 33 (3): e381. https://doi.org/10.1016/j.jvoice.2017.12.005

Behlau M, Morteli F, Pecoraro G. Customized vocal conditioning for singing professional voice users – case report. Rev CEFAC. 2014; 16 (5): 1713-1722

Fadel CBX, Dassie-Leite AP, Santos RS, Santos CG Jr, Dias CAS, Sartori DJ. Efeitos imediatos do exercício de trato vocal semiocluído com Tubo LaxVox em cantores. CoDAS. 2016; 28 (5): 618-624.

Borrego MC, Zuleta PPB, Ferreira LP. Condicionamento vocal: experiência exitosa com profissionais da voz. Anais do X Congresso Internacional. XXVII Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia. III Encontro Mineiro de Fonoaudiologia. 9 a 12 de outubro de 2019. Belo Horizonte-MG. 2019. http://sbfa.org.br/portal/anais2019/eposter/eposter_11605.pdf

Borrego MCM, Escorcio R, Ferreira LP, Santos TP, AA Silva, MZ Silva, PPB Zuleta. Condicionamento vocal e respiratório: efeitos de intervenção fonoaudiológica e fisioterapêutica em profissionais da voz. Fono 2020, XXVIII Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia, V Congresso Ibero Americano de Fonoaudiologia; 2020 out 7-10; On-line; São Paulo: SBFa, 2020.

Paes SM, Behlau M. Efeito do tempo de realização do exercício de canudo de alta resistência em mulheres disfônicas e não disfônicas. CoDAS. 2017; 29 (1): e20160048 https://doi.org/10.1590/2317-1782/20172016048.

Abou-Rafée M, Zambon F, Badaró F, Behlau M. Fadiga vocal em professores disfônicos que procuram atendimento fonoaudiológico. CoDAS. 2019; 31 (3): e20180120. https://doi.org/10.1590/2317-1782/20182018120 

Costa T, Oliveira G, Behlau M. Validação do Índice de Desvantagem Vocal: 10 (IDV-10) para o português brasileiro. CoDAS. 2013; 25 (5): 482-485.

Rocha BR, Moreti F, Amin E, Madazio G, Behlau M. [Cross Cultural adaptation of the brazilian version of the protocol evaluation of the ability to sing easily]. CoDAS. 2014; 26 (6): 535-9. https://doi.org/10.1590/2317-1782/20142014175 

Marques Jr NK. Confiabilidade da escala de faces da percepção subjetiva da dor muscular do esforço físico do voleibol: um estudo no voleibol mater. RBPFEX. 2017; 11 (67): 405-415.

Vilela FCA, Ferreira LP. Voz na clínica fonoaudiológica: grupo terapêutico como possibilidade. Distúrb Comun. 2006; 18 (2): 235-243.

Becker APS, Rocha NL. Ações de promoção de saúde em sala de espera: contribuições da Psicologia. 2017; 11(21): 339-355.

Albanaes P, Rodrigues KJR, Pellegrini PG, Tolfo SR. Intervenção em grupo de apoio psicológico a trabalhadores vítimas de assédio moral. Rev de Psicología. 2017; 35 (1): 61-96. http://dx.doi.org/10.18800/psico.201701.003 

Masson, MLV, Araujo TM. Protective Strategies Against Dysphonia in Teachers: Preliminary Results Comparing Voice Amplification and 0.9% NaCl Nebulization. J Voice. 2018; 32 (2) e1-257.e10.

Pereira LPP, Masson MLV, Carvalho FM. Aquecimento vocal e treino respiratório em professores: ensaio clínico randomizado. Rev Saúde Pública. 2015; 49:67 DOI:10.1590/S0034-8910.2015049005716

Roy N, Weinrich B, Gray SD, Stemple JC, Sapienza CM. Three treatments for teachers with voice disorders: a randomized clinical trial. J Speech Lang Hear Res. 2003;46(3):670-88. DOI:10.1044/1092-4388(2003/053).

Costa CB, Costa LHC, Oliveira G, Behlau M. Efeitos imediatos do exercício de fonação em canudo. Rev Bras Otorrinolaringol. 2011; 77(4): 461-465.




DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2021v33i2p357-364

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.