Fonoterapia intensiva em paciente com fissura de palato submucosa - relato de caso

Melissa Picinato-Pirola, Laila Beatriz Souza, Ana Cristina Coelho

Resumo


Introdução: A fissura de palato submucosa é uma malformação craniofacial, que pode ocasionar alterações de fala, e a fonoterapia intensiva é uma possibilidade de tratamento. Objetivo: relatar o caso de uma paciente com fissura submucosa de palato sintomática não operada que participou de um programa de fonoterapia intensiva para reabilitação de fala, descrever os processos terapêuticos e comparar a produção da fala antes e depois da terapia. Metodologia: o programa de fonoterapia intensiva foi realizado com uma paciente do gênero feminino de 13 anos de idade, com fissura submucosa de palato sintomática, não operada; e constituiu de três sessões diárias de terapia fonoaudiológica durante um período de 4 semanas, resultando em um total de 60 sessões de terapia. Antes da primeira sessão, e após a última, foi realizada avaliação clínica da fala e instrumental da função velofaríngea. Resultados: sistematização do fechamento velofaríngeo, melhora na inteligibilidade de fala, correção das articulações compensatórias, da fraca pressão intraoral e hipernasalidade em fala dirigida. Conclusão: o programa de fonoterapia intensiva proporcionou resultados positivos em período curto na reabilitação da fala da paciente.


Palavras-chave


Fonoaudiologia; Fonoterapia; Fissura palatina; Fala; Distúrbios da fala

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Miguel HC, Genaro KF, Trindade IEK. Avaliação perceptiva e instrumental da função velofaríngea na fissura de palato submucosa assintomática. Pró-Fono Revista de Atualização Científica. 2007 Jan-Abr; 19(1): 105-12.

Aquino SN, Paranaíba LMR, Martelli DRB, Swerts MSO; Barros LM; Bonan PRF, et al. Estudo de pacientes com fissuras lábio-palatinas com pais consanguíneos. Braz J Otorhinolaryngol. 2011; 77(1): 19-23.

Sales SAG, Santos ML, Machado RA, Dias VO, Nascimento JE, Swerts MSO, Martelli Júnior H, et al. Incidence of bifid uvula and its relationship to submucous cleft palate and a family history of oral cleft in the Brazilian population. Braz J Otorhinolaryngol. 2018; 84(6): 687-90.

Di Ninno CQMS, Gonçalves KCM, Braga MS, Miranda ICC Prevalência de fissura de palato submucosa associada à fissura labial. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2011; 16(3): 304-9.

Sommerlad BC, Mehendale FV, Birch MJ, Sell D, Hattee C, Harland K. Palate repaired revisited. Cleft Palate Craniofac. J., Chapel Hill, 2002; 39(3): 295-307.

Caterson EJ, Tsai DM, Cauley R, Dowdall JR, Tracy LE. Transillumination of the occult submucous cleft palate. J Craniofac Surg. 2014 Nov; 25(6): 2160-3.

Bispo NHM, Whitaker ME, Aferri HC, Neves JDA, Dutka JCR, Pegoraro-Krook MI. Speech therapy for compensatory articulations and velopharyngeal function: a case report. J. Appl. Oral Sci. 2011; 19(6): 679-84.

Picinato-Pirola M; Coelho AC. Fonoterapia na Fissura Labiopalatina. In: Melissa Picinato-Pirola; Verônica Fernandes Ramos; Christiane Camargo Tanigute; Angela Silveira Guerra Silva; Irene Queiroz Marchesan; Adriana Tessitore; Hilton Justino da Silva; Giédre Berretin-Felix. (Org.). Terapia em Motricidade Orofacial: Como eu faço. 1ed.São José dos Campos: Pulso Editorial, 2019, v. 1, p. 136-49.

Marino VCC, Dutka JCR, Pegoraro-Krook MI, Lima-Gregio AM. Articulação compensatória associada à fissura de palato ou disfunção velofaríngea: revisão de literatura. Rev. CEFAC. 2012 Mai-Jun; 14(3): 528-43.

Melo DP, Ramalho MSSC, Perillo VCA, Rodrigues LCB. Terapia fonoaudiológica intensiva e fissura de palato: relato de caso. Rev. CEFAC. 2013 Jul-Ago; 15(4): 1019-23.

Lima MRF, Leal FB, Araújo SVS, Matos EF, Di Ninno CQMS, Britto ATBO. Atendimento fonoaudiológico intensivo em pacientes operados de fissura labiopalatina: relato de casos. Intensive speech therapy in patients operated for cleft lip and palate: case report. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2007; (3): 240-6.

Pinto MDB, Pegoraro-Krook MI, Andrade LKF, Correa APC, Rosa-Lugo LI, Dutka JCR. Intensive treatment of speech disorders in robin sequence: a case report. CoDAS. 2017; 29(5): 1-6.

Dutka, JCR. Brasilcleft: uma força-tarefa nacional para o gerenciamento dos resultados da correção da fissura labiopalatina. Revista Comunicar. 2014; 61: 12-3.

Wertzner HF, Amaro L, Teramoto SS. Gravidade do distúrbio fonológico: julgamento perceptivo e porcentagem de consoantes corretas. Pró-Fono. 2005; 17(2): 185-94.

Bleiberg A, Leubling H. Parent Responsibility in Cleft Palate Habilitation. The Cleft palate journal 1970; 7(2): 630-38.

Machado-Nascimento N, Kümmer A, Lemos S. Speech-language pathology findings in Attention Deficit Hyperactivity Disorder: a systematic literature review. CoDAS 2016; 28(6): 833-42.




DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2021v33i2p231-238

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.