A implantação do BEPS no Brasil: conquistas e desafios

Lilian Aparecida Ferreira, Antônio Lopo Martinez

Resumo


Em outubro de 2015, a OCDE aprovou o BEPS que compreende 15 ações diferentes no tocante a tributação internacional, buscando combater a erosão da base imponível e a transferências de resultados tributários. Entretanto, transcorrido quase três anos ainda existe um longo caminho para que tenhamos um instrumental de tributação uniforme e universal.  Neste artigo, após a exposição dos principais fundamentos do pacote BEPS, serão revisados os efeitos das suas ações propostas, verificando em particular os impactos causados no sistema tributário brasileiro. Metodologicamente, através da análise das recentes modificações na legislação tributária brasileira serão revistas as principais conquistas nessa temática. A estratégia da OCDE tem passado a reforçar o combate ao planejamento tributário agressivo, e tem procurado promover isso através de instrumentos multilaterais, que pactuam um novo padrão de tributação internacional. Porém o tratamento diferenciado de alguns países, onde aí se inclui o Brasil, tem alimentado uma fragmentação do BEPS que podem criar oportunidades para outros tipos de planejamento tributário internacional, comprometendo a eficácia do BEPS.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRE, Ricardo. Direito Tributário Esquematizado. 10ª Edição. Rio de Janeiro: Forense, 2016.

BRASIL. Convênio ICMS 106, de 29 de setembro de 2017. Disponível em: https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/convenios/2017/CV106_17. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 87, de 16 de abril de 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc87.htm. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Lei Complementar nº 104, de 10 de janeiro de 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LCP/Lcp104.htm. Acesso em: 16 de mai. 2018.

BRASIL. Lei Complementar nº 157, de 29 de dezembro de 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp157.htm#art3. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.973, de 13 de maio de 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12973.htm. Acesso em: 16 de mai. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.430, de 27 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9430.htm. Acesso em: 16 de mai. 2018.

BRASIL. Ministério Da Fazenda. Portaria MF nº 343, de 09 de junho de 2015. Disponível em

:http://idg.carf.fazenda.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/regimento-interno/reg- outros/regimento-interno-do-carf-portaria-mf-343-09062015.pdf. Acesso em: 21 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil, Instrução Normativa nº 1.154, de 12 de maio de 2011. Disponível em:

http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=16126

. Acesso em: 16 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil, Instrução Normativa nº 1.312, de 28 de dezembro de 2012. Disponível em: http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=39257

. Acesso em: 16 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil, Instrução Normativa nº 1.669, de 09 de novembro de 2016. Disponível em: http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=78559

. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil, Instrução Normativa nº 1.681, de 28 de dezembro de 2016. Disponível em: http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?idAto=79444&visao=anotado

. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil, Instrução Normativa nº 1.689, de 20 de fevereiro de 2017. Disponível em:

http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?idAto=80650&visao=anotado

. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil. Brasil ratifica a Convenção Multilateral e terá amplo acesso a informações tributárias do exterior. Disponível em: http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/2016/junho/brasil-ratifica-a-convencao- multilateral-e-tera-amplo-acesso-a-informacoes-tributarias-do-exterior. Acesso em: 23 de mai. 2018.

BRASIL. Receita Federal do Brasil. Nota sobre a Medida Provisória nº 685. Disponível em: http://idg.receita.fazenda.gov.br/noticias/ascom/2015/novembro/nota-sobre-a-medida- provisoria-no-685-1. Acesso em: 23 de mai. 2018.

CHRISTIANS, Alisson. BEPS and the New International Tax Order. Brigham Young

.University Law Review, 2016(6), 1603-1647. 2016.

FABRETTI, Láudio Camargo. Contabilidade Tributária. São Paulo: Atlas, 2017.

FERRARI, Bruna Camargo. Negócios híbridos e normas CFC: impactos para as multinacionais brasileiras da incorporação do projeto BEPS no direito brasileiro. 2016. Tese de Doutorado.

IUDÍCIBUS, Sérgio de et al. Manual de contabilidade societária. 3º Ed. São Paulo: Atlas, 2018.

KADET, Jeffery. BEPS-A Primer on Where It Came from and Where It’s Going. Tax Notes, Vol. 150, nº. 7. 2016.

OECD. Base erosion and profit shifting. Disponível em: http://www.oecd.org/tax/beps/. Acesso em: 16 de mai. 2018.

OLIVEIRA, Luís Martins de; CHIEREGATO, Renato. PEREZ JUNIOR; José Hernandez; GOMES, Marliete Bezerra. Manual de contabilidade tributária. São Paulo: Atlas, 2015.

PÊGAS, Paulo Henrique. Manual de contabilidade tributária. 9° ed., São Paulo, Atlas, 2017.

SPENCER, David E. BEPS imposes new reality for companies. International Financial Law Review, 19. 2018.




DOI: https://doi.org/10.23925/cafi.v1i2.41301

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

A Revista CAFI apoia a Declaração de São Francisco sobre Avaliação de Pesquisa (DORA)

 Cirad assina a Declaração de São Francisco sobre a avaliação da pesquisa (DORA). Logo da iniciativa DORA



Indexadores

Conforme Qualis único de  2017-2018 (divulgado em 2019)


 

 

 

logo

 

Diretórios 

 

 

 

 

 

Creative Commons

 

A Revista Cafi adota a licença do CC-BY Creative Commons Attribution 4.0

 


ISSN 2595-1750