Estudo de viabilidade sobre a utilização do blockchain na contabilidade.

Isabella Barella Migliorini, Eloisa da Rocha

Resumo


A tecnologia está cada vez mais presente na sociedade, ela contribui para que muitas coisas que há algum tempo eram realizadas de forma manual, fosse automatizada. A contabilidade, exerce um papel fundamental para as empresas, a mesma passou por grandes mudanças desde seu surgimento, mudanças essas que trouxeram inúmeros benefícios aos profissionais. Dessa forma este trabalho busca tratar de uma nova tecnologia chamada blockchain. O estudo tem o intuito de verificar como a inovação tecnológica denominada blockchain pode ser utilizada dentro do sistema contábil. Além disso, foram desenvolvidos objetivos com o intuito de verificar o nível de aceitação dos profissionais contábeis diante de novas tecnologias dentro da contabilidade, bem como a percepção dos mesmos diante dessa nova tecnologia chamada blockchain. O estudo consiste em uma pesquisa cuja abordagem se caracteriza como dedutivo, pois busca descrever a utilização do blockchain, classificado como pesquisa qualitativa. Sobre os procedimentos, consiste em um estudo de levantamento. Através desses métodos, constatou-se que os profissionais contábeis possuem um baixo nível de conhecimento sobre novas tecnologias e um baixo nível de conhecimento sobre o blockchain, o que dificulta visualizarem suas aplicações dentro da contabilidade, tornando este estudo ainda mais relevante para a comunidade em geral.


Texto completo:

PDF

Referências


Baron, J. (2017). Blockchain, accounting and audit: what accountants need to know. Disponível em:< https://tax.thomsonreuters.com/blog/business/technology/blockchain- accounting-and-audit-what-accountants-need-to-know/>. Acesso em: 09/03/2018.

Carvalho, A.F. Gomes, V.S. (2018) Era digital e suas contribuições para a contabilidade: Evolução Histórica dos Processos Contábeis. Disponível em:. Acesso em: 01 de novembro de 2018.

Christidis, K. Devetsikiotis, M. (2018). Blockchains and smart contracts for the internet of things. 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 de maio de 2018.

Duarte, R. D. (2008). Big Brother Fiscal na Era do Conhecimento: como a certificação digital, SPED, e NF-e estão transformando a gestão empresarial no Brasil. 3ª ed. São Paulo: Ideas@

Duarte, R. D. (2005). Blockchain na contabilidade: a tecnologia que vai revolucionar (novamente) os escritórios de contabilidade. Disponível em

.Acesso em: 08/03/2018.

EVOLVI. (2018). O que é blockchain – a tecnologia que mudará contabilidade. Disponível em: . Acesso em: 20 de maio de 2018.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª ed. São Paulo: Atlas. Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Atlas.

Goldenberg, M. (2012). A arte de pesquisar. 8ª ed. São Paulo: Record Rio de Janeiro, 2004. Disponível em. Acesso em 15 de março de 2018.

Guimarães, P. R.B.(2008); Métodos Quantitativos Estatísticos. 1ª ed. Curitiba: IESDE Brasil S.A.

Guimarães, A. S; Johnson, G. (2007). Administração em tempo real: Sistemas de informação. 1° ed. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Hendriksen, e. S; Breda, M. F. V. (1999); Teoria da contabilidade. Antônio Zoratto Sanvicente (trad.). Tradução de: Accounting theory. São Paulo: Atlas.

Iudícibus, S. (2002). Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas; Iudícibus, S. (2009). Teoria da Contabilidade. 9. ed. São Paulo: Atlas. Iudícibus, S. (2010). Teoria da contabilidade. 10. ed.São Paulo: Atlas.

Lemes, S.; Silva, G. M. (2009).A experiência de empresas brasileiras na adoção das IFRS.

Contabilidade Vista & Revista, v. 18, n. 3, p. 37-58.

Lucindo, M. (2017). Blockchain e os serviços contábeis: disrupção à vista. Disponível em

. Acesso em: 09 de março 2018.

Malhotra, N. K. (2001). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 3ª ed. Porto Alegre: Bookman1.

Marconi, M. A; Lakatos, e. M. (2006). Metodologia do trabalho cientifico: procedimentos básicos, pesquisa bibliografia, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 6ª ed. São Paulo: Atlas.

Marconi, M. A; Lakatos, e. M. (2007). Metodologia do trabalho cientifico. 7ª ed. São Paulo: Atlas.

Marconi, M. A; Lakatos, e. M. (2010). Fundamentos da metodologia cientifica. 7ª ed. São Paulo: Atlas.

Mougayer, W. (2017). Blockchain para negócios: promessas, práticas e aplicação da nova tecnologia da internet. Rio de janeiro: Alta Books.

Neves Júnior, Í. J; Oliveira, C. M; Carneiro, E. E. (2011). Estudo exploratório sobre os benefícios e desafios da implantação e utilização do Sistema Público de Escrituração Digital - SPED na opinião de prestadores de serviços contábeis no Distrito Federal. In: Congresso USP De Iniciação Científica em Contabilidade. São Paulo: USP. Disponível em:. Acesso em: 27 de março de 2018.

Nicoletti, N. (2017). Afinal, o que é blockchain e como ela transforma negócios. Disponível em: .Acesso em: 22 de maio de 2018.

Pires, T. P. (2016). Tecnologia blockchain e suas aplicações para provimento de transparência em transações eletrônicas. Disponível em: < http://bdm.unb.br/handle/10483/16252>. Aceso em: 13 de maio de 2018.

Schiavon, G. (2016). Bitcoin e blockchain: entenda essa relação. Disponível em:

. Acesso em: 19 de maio de 2018.

Reina, S. G.; Varolo, F. A. de Q.; Gozer, I. C. (2011). Normas internacionais de contabilidade: um estudo bibliométrico nos periódicos contábeis classificados na Qualis Capes. Revista Ciências Empresariais. UNIPAR, Umuarama, v. 12, n. 1, p. 131-152, jan./jun.

Tapscott, D; Tapscott, A. (2016). Blockchain Revolution. Como a tecnologia por trás do Bitcoin está mudando o dinheiro, os negócios e o mundo. São Paulo: SENAI.

World Economic Forum. (2016). The Future of Financial Infrastructure: An ambitious look at how Blockchain can reshape financial services. Disponível em:

. Acesso em: 20 de maio de 2018.




DOI: https://doi.org/10.23925/cafi.v2i1.40601

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

A Revista CAFI apoia a Declaração de São Francisco sobre Avaliação de Pesquisa (DORA)

 Cirad assina a Declaração de São Francisco sobre a avaliação da pesquisa (DORA). Logo da iniciativa DORA



Indexadores

Conforme Qualis único de  2017-2018 (divulgado em 2019)


 

 

 

logo

 

Diretórios 

 

 

 

 

 

Creative Commons

 

A Revista Cafi adota a licença do CC-BY Creative Commons Attribution 4.0

 


ISSN 2595-1750