Impactos na convergência das normas internacionais de contabilidade de leasing para arrendatários

Amanda Torres de Azevedo Araújo, Marcus Vinicius Moreira Zittei

Resumo


As operações de arrendamento mercantil, seja sob modalidade financeiro ou operacional, sofrem mutações de mercado e contábil na maneira de compor seus registros desde a adoção inicial de legislação específica, até os dias recentes. Como uma importante fonte de financiamento de bens e direitos ativos, as companhias globalmente registram em seus balanços expressivas cifras relacionadas a esta operação, que proporciona a posse de determinado bem ou direito, podendo ou não haver intenção de aquisição ao final de um certo período, geralmente delimitado por força de contrato. Devido tais constantes mutações, os agentes normativos internacionais de contabilidade, divulgaram em 2016 o novo padrão de contabilidade de arrendamento, impactando de maneira especial o modelo hoje empregado para arrendatários. Neste contexto, a presente pesquisa tem finalidade de demonstrar os impactos esperados com as mudanças normativas e a perspectiva contábil sobre as operações de arrendamento (Leasing) e seus reflexos, principalmente na composição do endividamento (alavancagem financeira) e indíces de liquidez corrente e seca. O novo padrão ainda, demonstra uma tentativa de aproximação entre os dois principais órgãos, no entanto deixa em aberto grandes brechas em redação e prática do novo padrão para USGAAP e IFRS. Até o momento da divulgação desta pesquisa, não houve atualização quanto ao CPC (Comite de Pronunciamentos Contábeis) no Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEL (Associação Brasileira das Empresas de Leasing). Leasing | Arrendamento Mercantil, set 2010. Disponível em: http://leasingabel.com.br/site/Adm/userfiles/leasing_site.pdf (acessado em 17 de maio de 2017) – páginas 2 a 4.

CHIMISSO, Sandro Hüttner. Matéria da Revista de Administração. Leasing e Arrendamento Mercantil: Alternativa de Financiamento de Longo Prazo para empresas brasileiras, v. 3, n. 5 (2004). Disponível em: http://revistas.fw.uri.br/index.php/revistadeadm/article/view/784 (Acessado em: 17 de maio de 2017 - Páginas 78 a 85).

KPMG – Um balanço mais transparente - IFRS em Destaque 02/16: Primeiras impressões (Abril de 2016) (acessado em 09 de março de 2017).

LATAM Airlines Group – Demonstrações Financeiras consolidadas base 31 de dezembro de 2016 (acessado em 07 de maio de 2017).

MATARAZZO, D. C. Análise financeira de balanços: abordagem básica e gerencial. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2003. p. 147-242.

MOREIRA, Angélica Tavares; SILVA FILHO, Onofre Antonio da; LEMES, Sirlei. IAS 17– ANÁLISES, COMPARAÇÕES E A PRIMAZIA DA ESSÊNCIA SOBRE A

FORMA1. Revista de Administração e Ciências Contábeis do IDEAU, Getúlio Vargas, v. 6,

n. 12, 2011 (acessado em 29 de maio de 2017).

PwC (PricewaterhouseCoopers) – PwC Lease accounting guide, 2016. Obtido em:

(acessado em 09 de março de 2017).

TORRES, Fernando. Matéria do Jornal Valor Econômico. Leasing vai somar dívida de US$ 2,2 trilhões em balanços (13 de janeiro de 2016). Disponível em: http://www.valor.com.br/empresas/4389044/leasing-vai-somar-divida-de-us-22-trilhoes-em- balancos (acessado em 17 de maio de 2017).




DOI: https://doi.org/10.23925/cafi.v1i1.36954

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

A Revista CAFI apoia a Declaração de São Francisco sobre Avaliação de Pesquisa (DORA)

 Cirad assina a Declaração de São Francisco sobre a avaliação da pesquisa (DORA). Logo da iniciativa DORA



Indexadores

Conforme Qualis único de  2017-2018 (divulgado em 2019)


 

 

 

logo

 

Diretórios 

 

 

 

 

Creative Commons

 

A Revista Cafi adota a licença do CC-BY Creative Commons Attribution 4.0

 


ISSN 2595-1750